28 dezembro, 2011

Chá de Boldo

E eu nem gosto de chá, mas resolvi agora fazer um bem quente para tranquilizar essa inquietude que você provocou em mim. Também nem sei se serve pra acalmar, mas boldo eram as únicas folhas que ainda restavam por aqui.
A verdade é que o problema poderia estar em você que está tão apegado a mim. Ou poderia estar em mim, que acho que não quero me apegar a você mas não tenho certeza. E toda vez que acho que estou centrada, de pés no chão mesmo, sabe, sem medo, sem dúvidas, sem fraquezas, acontece algo que me tira do controle e lá vou eu me perder por um caminho que já deveria saber de cor. DE-VE-RI-A. Mas não, você insiste em me desequilibrar.
Você adora me rebater, me contrariar, me corrigir, me culpar e até mesmo me julgar, mas eu geralmente não ligo, se sei que estou certa. Mas é quando você resolve, do nada, silenciar, sumir, desaparecer, se perder de mim é que eu acho que estou errada. É aí que tenho medo de te perder e não tenho certeza de que jeito te quero, mas com certeza não é longe de mim.
Eu já estou na quarta xícara e, se eu for contar, já estou também por volta da 15ª ligação. Agora na 16ª. Ligo, ligo, ligo. Pronto, 30ª e vou ficando por aqui. Se foi de propósito para eu sentir sua falta, tudo bem, já pode aparecer.
E eu, nas condições em que me encontro, seria capaz de ter mais uma das minhas crises freneticamente nervosas, se não fosse esse chá de boldo que, no mínimo, me fez distrair.

26 dezembro, 2011


Eu só queria te dar um abraço daqueles bem apertados. Para que você nunca mais tivesse vontade de ir embora e parasse com esse fingimento de que não tem boas razões pra ficar.
E se por um acaso você decidisse não mais fingir, eu ainda queria ser a primeira pessoa que passasse pelo seu pensamento. Mas se por um acaso maior não seja a mim quem você vislumbre, eu resistirei em me deixar doer.
E eu sei que não sou tão forte quanto aparento ser, mas também não sou fraca a ponto de conscientemente me deixar ferir. Todas as feridas que trago comigo foram involuntárias.

25 dezembro, 2011

O problema de nós, mulheres, é que idealizamos demais. O cara dá um simples 'boa noite' e a gente já acha que ele está nos paquerando. Quando vira amizade, a gente acha que ele já está com a intenção de namorar. Se porventura virar namoro, a gente já pensa em casamento, casa, filhos. Se algum dia vira casamento, a gente acha que vai ser eterno. E se por acaso nada disso acontecer, a gente só falta morrer.
E volto ao princípio: se ele deu um 'boa noite', é apenas um 'boa noite'. E assim com tudo que ele disser.
Então vamos parar de ver coisas onde não tem e deixar de sonhar demais. Até porque sonho muito doce, ficou pra pão e doce de leite, aquele mesmo de padaria.

19 dezembro, 2011

"Este ano...

... quero paz no meu coração, quem quiser ter um amigo que me dê a mão."

Chegamos ao fim de mais um ano, mas ainda lembro como se fosse ontem todos os planos que eu havia feito para 2011. Alguns eu consegui concretizar, mas outros ainda ficaram bem longe.
E eu não queria resumir aqui minha trajetória, mas seria impossível não mencionar que 2011 foi um ano difícil.
Borrei a maquiagem com lágrimas, e mesmo sem maquiagem, chorei muito também. Chorei pela faculdade, pelo emprego, por um amor. Eu tive que engolir 'nãos', sofrer perdas, esquecer mágoas, superar crises e ainda assim levantar do chão e tentar dar a volta por cima. Eu não consegui cumprir a promessa de ser menos orgulhosa, egoísta, ciumenta e impaciente. Eu, ao contrário de muitas, sou capaz de confessar quais são os defeitos que me tornam complicada. Não que isso aliviasse minha culpa, até porque se fosse assim eu já estaria isenta de falhas. Eu também não deixei de ser uma compradora compulsiva, não passei mais de 6 meses na academia, nem fiz cauterização de 15 em 15 dias. Mas eu viajei no carnaval, consegui ter mais paciência com meus alunos, comecei a curtir sertanejo, assisti filmes de ação, e até saí pra assistir jogo de futebol. Então digamos que eu pude desfrutar ainda de alguns bons momentos que este ano guardou lá no fundo daquela pequena gaveta da parte de baixo do armário que a gente quase nunca abre. E que a gente por curiosidade e sorte acaba encontrando alguma coisinha boa perdida lá dentro.

Dessa vez não quero exagerar nos planos, mas seria impossível não fazê-los. Então aí vai a lista com os cinco primeiros.

1. Aprender a tocar violão( e comprar um).
Eu sempre quis tocar violão, sou apaixonada por músicas acústicas e acho que já passou da hora de realizar esse sonho. As primeiras músicas que vou tocar são: Porta Aberta, de Luka; Sem Radar, de LS Jack; E I'm With You, da Avril Lavigne.

2. Viajar para algum lugar longe.
Eu nunca fui muito de viajar, mas falta de vontade nunca foi. Meu sonho é conhecer Salvador e depois Nova York, mas como havia dito que não quero exagerar, então me conformo com qualquer lugar longe, sendo bonito e aconchegante.
3. Escrever um livro.
Eu até já tenho algumas crônicas que farão parte dele. Mas eu preciso de mais, muito mais. Então já que curso Letras, seria bom unir o útil ao agradável, não?!?


4. Cursar uma outra graduação.
Não que não tenha gostado do meu curso de Letras, claro que gostei, mas sabe quando você pensa assim 'Ainda não é isso que eu quero' ou ' Não quero ficar só nisso a vida toda' ?!? Pois é, estas são as razões que me levaram a esse quarto tópico.


5. Ser mais sensata, altruísta e paciente.
Mais uma vez estou eu prometendo ter as mesmas qualidades que faço o maior esforço de sempre para conseguir. E espero que este ano que vem vá muito além do esforço. Amém.


Que venha 2012 com tudo do bom e do melhor com Deus, paz, amor e muita luz. E como já cantava 'The Fevers' :

"Marcas do que se foi, sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce, novo em cada amanhecer..."

13 dezembro, 2011

E nem vem que não tem, que eu já conheço essa historinha de chove-não-molha, de vai e volta e toma-la-dá-cá. Portanto querido vai logo dando meia volta que a mim, rá, você não engana mais.

07 dezembro, 2011

Uma tarde qualquer

Encontraram-se os dois.
Ela entrou no carro e se limitou a dizer apenas um 'Oi, como vão as coisas?!?'. E ele, enquanto bebia uma cerveja e parecia um pouco mais distraído limitou-se a responder 'Pois é, vão bem' . E ficaram mudos. Um bom tempo mudos. Quem os visse assim não dizia que já se conheciam há anos. Na verdade o que parecia mesmo ali é que um não conhecia mais o outro há um bocado de anos atrás, o que de fato não era verdade.
Resolveram parar na praia e naquele momento ela já não tinha cabeça pra pensar em mais nada a não ser se perguntar o que viera fazer ali.
- Eu gosto de você. - Ele disse a interrompendo nos seus pensamentos.
- Eu também gosto de você. - Ela respondeu sem saber ao certo se falou só para concordar ou se realmente havia algum sentido nisto.
E começaram a conversar. Depois cantaram, dançaram e sorriram enquanto o sol e as ondas formavam o cenário perfeito para aquela tarde de verão e, portanto, de muito calor.
- Olha - ela disse - se não fosse nossos gênios absurdamente parecidos, nossos desentendimentos, e nossas vidas complicadas, posso garantir que não teríamos nos separado naquele dia e que seja lá qual fosse a circunstância que tivéssemos vivido, seríamos fortes e capazes o suficiente para enfrentarmos. O problema da gente é que somos espantosamente semelhantes.
- Eu nunca pensei que tantos pontos em comum pudessem levar duas pessoas a caminhos tão diferentes. - Ele responde meio atônito.
- Peças que a vida nos prega.
- Eu não sei você mas eu ainda queria...
- NÃO. Não diga nada.Vamos dessa vez deixar as coisas acontecerem naturalmente, eu prefiro que seja assim.
Ele a deu um singelo beijo e este parece que foi o motivo que ela precisava pra desabar. Mas nem era de tristeza, era algo que nem mesmo ela, naquele momento, conseguiria explicar.

E aquela tarde que era pra ser só mais uma normal, banal, qualquer entre tantas outras, foi apenas um começo de um recomeço que nem um dos dois saberia onde ia parar. E também no fundo acho que nem queriam saber.
Que continuassem então.

26 novembro, 2011

Ponto final

Hoje eu acordei gostando mais de mim. Depois de todo esse tempo, hoje realmente senti algo diferente. De repente toda aquela quantidade de sentimentos ruins que eu ainda sentia, parece que foi embora.
E fiquei tão feliz porque, depois de dar de cara com você, eu não senti absolutamente nada, vou repetir , ab-so-lu-ta-men-te NADA. Até porque eu já tinha chegado num ponto em que não suportava mais aquela dor antiga, angústias, mágoas e confusões que aconteciam no meu lado interno. E nem todas aquelas vezes que eu engolia o choro, engolia a raiva, engolia a decepção, engolia tudo que não queria. Fui assim perdendo a paciência para tudo que diz respeito a você e depois de ouvir muitos ‘ele não te merece’, ‘ não vale à pena sofrer ’ e ‘acorda pra vida menina , o melhor estar por vir’, eu decidi botar o meu ponto final naquela história em que só eu insistia em relembrar. Vi que estava na hora de fazer uma limpeza da alma, da mente e do coração. Aliás, era necessário. A verdade toda é que com tudo isso, eu acho que nem tem mais nada a ser superado. Não mais.
Depois de um árduo caminho, eu já posso dizer que aceitei o fim e com tanta ausência de sentimentos, restou apenas a vontade de seguir em frente de um jeito mais leve, mais forte e mais doce.

É, eu me dei conta que realmente estive decidida a te esquecer. E hoje tive a certeza que consegui.

18 novembro, 2011

Por muito tempo segui caminhos diferentes dos seus. E nunca, em hipótese alguma, pensava em escrever algo sobre você. Sempre tivera alguém mais importante, algo mais necessário, tempo mais ocupado. Porque eu sempre soube da capacidade que você tinha de me amar, mas isso não era suficiente pra mim, na verdade isso quase nunca fazia sentido pra mim. Eu sempre do meu jeito egoísta e pouco humilde, queria mais é que você respeitasse minha idiossincrasia, e 'ai' de você se fizesse o contrário.
Mas depois daquela tarde que resolvi, sim, digo resolvi porque foi preciso muita insistência sua, depois que resolvi passar alguns instantes com você, digamos que eu tenha caído em mim. Admito que o fato de eu ter me decepcionado muito com as pessoas e ter sofrido bastante com isso, me empurrou a "aguçar os ouvidos" para escutar tudo que tinhas a me dizer.


Foi um choque saber de todo aquele teu sofrimento, vergonhas, constrangimento e humilhações que eu por vezes consciente (e é isso que mais doi) submetia você. E mais que um choque, foi extremamente irracional a forma que encontras ainda depois de tudo para me perdoar.
Como uma chuva que cai às vezes sem esperar, meu coração chorou. Porque depois daquele abraço que você me deu e disse 'Não se preocupe, eu estou bem, está tudo bem', eu pude perceber que além de um rostinho bonito e um jeitinho de menino, você possui ainda um coração imenso cheio de um amor incondicional. E eu que sempre quero ser tão forte, na verdade tenho um lado mais frágil do que muitos imaginam.
Confesso que a partir de hoje e acima de tudo, te quero infinitamente bem. Não vou dizer que você vai ser o amor da minha vida, te prometer um mar de rosas, nem qualquer coisa do tipo 'você-vai-ser-o-cara-mais-feliz-do-mundo', mas a minha gratidão, o meu carinho e principalmente o meu respeito serão doados da forma mais humana que alguém pode oferecer a outro alguém. E que nossa sintonia prevaleça nos dias em que eu ou você não estejam muito bem.

14 novembro, 2011



No meio de tantas coisas, momentos e pessoas, eu ainda consigo achar tempo pra pensar em você. Não como antes, não com a mesma intensidade, não com o mesmo sentimento. E eu já quero parar com aquilo, de querer me vingar de você, de desejar o teu mal e blá blá blá. Acho que passei para outro estágio.  
De acordo com minhas expectativas está tudo indo bem, nem tão tranqüilo, mas digamos que está dando pra levar. Porque na verdade tudo é um desvio de foco e, quando este passa a não ser o mesmo, tudo pode chamar a atenção de forma que as coisas mais simples, antes esquecidas, se tornem imensamente interessantes. Pois é. Estou achando, ou pelo menos tentando achar, caminhos que me levem a outros rumos, que não sejam os seus e que me façam guardar lembranças que não sejam suas. E de certo, eu estaria segura o suficiente pra conseguir te dar um bom dia, ou até mesmo um oi-como-vão-as-coisas, mas sinto que por enquanto é melhor não falar com você, não que sejas insignificante,muito pelo contrário, mas é que eu acho que quanto menor o contato, menor a saudade, menor as mágoas.

E admito que toda vez que te vejo, sinto meu coração bater mais forte como da primeira vez que ficamos, mas como um relapso, a minha mente relembra toda dor que me causou foi da última vez que estivemos juntos. Então repito depressa que não, que não e que não. Pode até parecer incrível, mas pelo menos até agora está dando certo.

E só pra encerrar achei digno compartilhar este trecho de Caio F.

“Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta. Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo, me procura você.”

30 outubro, 2011

Parando pra pensar eu me orgulho de não ter ido atrás de você. Foi difícil de entender e aceitar,mesmo porque até ontem eu daria o mundo para estar ao seu lado.
Até ontem eu lamentava tua frieza, tua indiferença, tua partida.
Mas aos poucos estou percebendo que de nada adianta insistir em um amor que não valeu à pena, que só de lembrar dói e acima de tudo em que não há reciprocidade. 
E estou abrindo meus olhos para enxergar a realidade de não te ter aqui comigo. Acabar de vez com essa ideia de que não consigo viver sem você. Porque mesmo com sua presença ou ausência a vida continua e até mesmo porque antes de te conhecer eu já andava com os próprios pés.
Pois bem querido, acho que chegou a hora de sacudir o tapete e levar embora aquelas lembranças que estavam escondidas ali, erguer a cabeça e continuar o trajeto que por já ter sido demasiado difícil, me fez forte o bastante para aceitar os fatos como são.


17 outubro, 2011


Tu olhas teu amor e de repente ele não é mais o teu amor... Perdeu-se no tempo,no caminho,por aí afora.
Aquele amor que me fazia bem,que me confortava,que me completava não faz mais parte dos meus planos, da minha vida.

Doi ver aquele amor que um dia foi seu e agora tão distante,com outras idéias,outros rumos,outro alguém. Doi saber que não é pra mim que ele vai mandar mensagens de bom dia, não sou eu quem ele vai buscar para passear, não vai ser comigo que ele vai contar seus problemas, seus medos. Não serei eu mais a sua conselheira, protetora, confidente. Os beijos, os abraços, os carinhos estarão bem longe de ser os meus. Doi saber que outra pessoa agora escuta o teu boa noite, aquele boa noite que era nosso, que nós não conseguíamos dormir sem falar um ao outro. Os planos já serão concretizados sem mim. As próximas datas comemorativas já não serão mais partilhadas comigo. Os presentes nunca mais serão meus. O ‘ eu te amo’ ,não será para mim.

Eu já senti todos os sentimentos ruins que alguém pode sentir por outro alguém. Raiva, tristeza, mágoa, decepção, mas o que ainda me restou de você foi a saudade. De todo o bem e o mal que ele me fez,eu ainda consigo sentir saudade. Na verdade é ela que machuca mais que todos os outros, é ela que me faz sentir o tamanho da falta que você me faz.
E eu ainda choro toda vez que falo de nós dois. As lágrimas sabem traduzir claramente o quanto tem sido difícil de esquecer.

12 outubro, 2011

Tinha acabado então.

Na verdade já tinha acabado há muito tempo, mas com palavras só acabou naquele momento. Deu vontade de gritar,sumir,morrer. Mas o que me restaria a mais senão chorar?!? Então chorei, chorei muito, chorei tanto que causava dó em quem me olhava.

Faltavam forças para levantar,comer,dormir,continuar,viver. Eu não queria viver,a última coisa que eu queria era isso. Porque viver estava doendo muito,ou melhor ,viver sem ele estava doendo muito. Eu não aceitava o fato de que ele não me amava mais. Aliás, na verdade eu não estava aceitando o fato de não estar mais com ele, porque no fundo,no fundo eu sabia que não existia mais amor há tempos.

Nada me ajudava a te esquecer,o celular com os vários torpedos,o computador lotado de fotos, o quarto cheio de presentes e acima de tudo, a mente desesperada e completamente repleta de lembranças. Na verdade eu não queria te esquecer, eu achava que ainda ia ter volta. Mas depois de todo esse tempo ,o tempo que você não voltou,nem voltará, eu só peço a Deus que tire de mim esse vazio,essas lembranças ,essa sensação e a tua imagem.
E que de agora em diante eu só queira uma volta: VOLTA FELICIDADE.


03 outubro, 2011

Por motivos maiores fiquei um pouco afastada daqui. Mas agora voltei, a saudade de estar aqui em contato com minhas íntimas palavras e principalmente com vocês leitores, fez com que eu retornasse para dar continuidade ao blog.
Até o próximo post. :D

Beijoos.

14 agosto, 2011

Dolorido



Depois de um ano daquela nossa conversa eu me pergunto se valeu à pena. Sem dramas, sem injustiças, mas tenho a sensação de que pode ter sido em vão. As coisas foram mudando da noite para o dia e sem controle você foi lentamente escorrendo pelos meus dedos e ainda nem sei se ainda te tenho aqui,se ainda sentes por mim o que sentia e se ainda resta algum plano comigo. Tão dolorido ter que admitir essa dor, essa decepção, esse transtorno.Eu não queria ter presenciado aquela viagem que você fez sem mim, aquela carona que me deixou irritada, aquela amizade que nunca fez bem pra nós, aquelas palavras ásperas que você nem precisava estar com muita raiva para vomitar em mim, aquele jogo que você poderia ter cancelado para poder ficar comigo, aquela saída que me torturava a cada minuto, aquele filme irrisório que só assisti por sua causa, aquele tempo que "se desse", "se restasse" você ficaria comigo e principalmente todas aquelas falsas promessas que você não cansava de exprimir.Tão difícil mas é aos poucos que a gente tenta aceitar os fatos como são,tenta encarar, embora não passem apenas de meras tentativas. 
Dolorido renunciar a tudo isso,renunciar a você, a tudo que já passamos e eu me pergunto se isso seria mais dolorido do que continuar nossa trajetória demasiada difícil. Eu sei que o tempo ainda é o melhor remédio ,eu sei que o mundo dá voltas,sim,eu sei de tudo isso,todos sempre falam isso para tentar me acalmar.Mas não é de calma que preciso,não é de paciência e nada do tipo que me faça tranquilizar. Eu preciso da tua compreensão,do teu aconchego,do teu afeto e principalmente do teu amor,se é que ainda resta algum resquício . 
Não quero guardar nenhuma mágoa,arrependimento,desgosto ou qualquer tipo de ressentimento de você devido às nossas desavenças, mas também não dá pra continuar sentindo a mesma coisa daqui pra frente,até porque hoje estou bem mais machucada do que ontem.Amanhã um pouco mais do que hoje e depois de amanhã eu já nem sei.

12 agosto, 2011


"Se meu coração não se emociona mais, fiquei me perguntando o que eu estava fazendo ali. Se não sonho mais, não planejo mais, não desejo mais, não espero mais nada, o que eu estava fazendo ali?
Não te amo mais, queria dizer a ele, pela primeira vez, sem esperar que ele sofresse com isso. Sempre quis que ele sofresse com o dia em que eu não o amasse mais. Mas justamente porque eu não o amo mais, nem quero mais que ele sofra. Aliás, não quero mais nada. Só ir embora."

(Tati Bernardi)

27 julho, 2011

Mas apesar de tudo eu posso garantir que estou feliz,não exageradamente até porque nessas circunstâncias eu estaria mentindo,mas estou feliz ao ponto de acordar sorrindo e dormir sorrindo também.Os apesares dos dias eu vou moldando até que possa superá-los.
Ultimamente não ando mais sentindo dor no coração,vontade de vomitar,chorar,gritar ou qualquer coisa auto-depressiva.Acho que essa pior fase já passou.
Agora por enquanto vou desfrutando dessa felicidade razoável,porém suficiente o bastante para que eu fique notoriamente bem.


E se ainda existir alguma esperança, que ela me faça acreditar nela outra vez.E que me faça acreditar em tudo que está por vir,e além de tudo me faça ter paciência o bastante para esperar.












Quando vai dando exatamente 6:00 da manhã ou da tarde ou mesmo 00:00 em ponto,eu sempre começo a orar   por mim.Por mim e por todos que eu amo,mas essencialmente por mim.Não sei o porquê mas sempre fui acostumada a acreditar que esses horários são os mais fortes ou mais poderosos,sei lá.Tamanha a minha força,tamanha a minha fé.

26 julho, 2011

Metade feliz,metade infeliz. E já estou me acostumando em saber que a vida não dá tudo de uma vez.

18 julho, 2011


“Quando a gente gosta, a gente começa emprestando um livro, depois um casaco, um guarda-chuva, até que somos mais emprestados do que devolvidos. Gostar é não devolver, é se endividar de lembranças.”


(Fabrício Carpinejar)
Eu fiquei tão surpresa que não deu tempo de sentir raiva,tristeza,dor ou decepção.A mente ficou dormente por alguns segundos e nenhuma explicação seria convincente o suficiente para, depois de voltar ao meu estado normal, me impedir de desabar.












"Por um milésimo de segundo eu fechei os olhos e senti meu peito esvaziado de você. Foi realmente quase. Acho que estou andando pra frente. Ontem ri tanto no jantar, tanto que quase fui feliz de novo. Ouvi uma história muito engraçada (...)Mas aí lembrei, no meio da minha gargalhada, como eu queria contar essa história para você. E fiquei triste de novo."

(Tati Bernardi)

17 julho, 2011

A gente tenta de tudo, faz o maior esforço, mas sozinho não tem forças nem para levantar,sozinho não se reencontra e se dá conta que todas as tentativas foram em vão.É sozinho que se descobre o que move o coração,e de certa forma, se ainda vale a pena movê-lo,porque cá pra nós,a gente sempre sabe quando as coisas já não são convenientes a nós mesmos, às vezes a gente oculta, às vezes nega ,às vezes luta ou então entrega,mas a gente sempre sabe.
Então se pensa que se for pra ser que seja agora e se não for pra ser,que não seja a partir de agora também.De nada serve adiar o fim.





"Podia esperar de qualquer um essa fuga, esse fechamento. Mas não de você, se sempre foram de ternura nossos encontros e mesmo nossos desencontros não pesavam, e se lúcidos nos reconhecíamos precários, carentes, incompletos. Meras tentativas, nós. Mas doces. Por que então assim tão de repente e duro, por quê?"

(Caio Fernando Abreu)

16 julho, 2011

"Por fora, já desistiu. Por dentro, sempre descobre alguma desculpa para recomeçar."

(Fabrício Carpinejar)


"Eu te amo de um jeito inexplicável, mas certo. Porque encontrei em você a fuga de tantos medos, a cura da minha eterna melancolia e o fim de uma incerta nostalgia que eu nem sabia por que existia. Às vezes fico pensando se isso acontece com todos os apaixonados, mas não gostaria que fosse assim. Sinto algo tão especial, tão único por ti que não gostaria de dividir algo, assim, tão forte, com o que se chama de amor pelas ruas. Sabe aquele tipo “te amo hoje” e “te odeio amanhã”? Não quero isso pra gente."


(Caio Fernando Abreu)






"E é por isso que eu sorrio
Faz um tempo
Desde que todos os dias e tudo tem dado tão certo
E agora
Você está bagunçando tudo
E de repente
Você é tudo que eu preciso, a razão pela qual
Eu sorrio."
(Avril Lavigne)

15 julho, 2011

"Liberdade na vida é ter um amor para se prender."

(Fabrício Carpinejar)


Mania de pensar que minha atenção só se volta para ele.Com tantas outras coisas pra fazer,e ler,e sentir,e viver e ele se achando o centro do universo.Ainda bem que sempre existem outros focos.





"Posso te garantir que o verão solitário me deixou mais mulher, mais leve e mais bronzeada e que, depois de sofrer muito querendo uma pessoa perfeita e uma vida de cinema, eu só quero ser feliz de um jeito simples. Hoje o céu ficou bem nublado, mas depois abriu o maior sol."


(Tati Bernardi)
“Deus não me deu esse estômago enjoado, essa alergia encantada de vida e esse coração disparado à toa. Eu devo ser especial, eu devo ter algum talento. Não, eu não quero ser medíocre, não eu não quero desistir, não quero optar pelo caminho mais fácil, não quero que a energia negativa me enterre.”


(Tati Bernardi)


13 julho, 2011

Começando a me desprender do que não faz falta,do que não faz bem.É difícil,todo mundo sabe que é,mas chega uma hora que você tem que escolher: ou continua sofrendo,ou resolve ser feliz.Sofrer é o caminho mais fácil porque não se precisa fazer nada,você já está assim.Agora ser feliz é o árduo,exige esforço e força de vontade.Ultimamente só quero pensar na segunda opção.Vai por mim também.

E tudo que andava acontecendo em todos aqueles dias,ela sabia que tinha uma razão.Talvez não soubesse qual era essa razão,mas que tinha,tinha. Então ela deixava assim passar,de mansinho com a certeza de que um dia tudo se explicaria melhor.














"E eu sei o quanto vai ser cansativo correr da dor.
O quanto vai ser falso eu ignorar ela aqui no meu peito.
Mas vou correr até a minha última esquina.
Cansei de morrer na vida das pessoas."


(Clarice Lispector)

12 julho, 2011


"Sei lá, que eu ando. Muito triste. Uma merda, tudo isso. Mas não importa, não me interrompa agora. Deixa eu falar, por favor, deixa eu falar. Tem uma coisa dentro de mim que continua dormindo quando eu acordo, lá longe de mim."

(Caio Fernando Abreu)


10 julho, 2011

“Não faço nada, cinemas cheios demais, ruas cheias demais. Quero voltar pra casa, ver TV até a imbecilidade, dormir sem sonhos. Alguma coisa me falta, desesperadamente.”

(Caio Fernando Abreu)














E de uns tempos pra cá,venho sentindo uma enorme vontade de viajar.Nem é pra curtir,pirar,ou qualquer coisa do tipo.É só pra ficar bem longe de tudo e de todos.Tudo que me desagrada,todos que não fazem falta.E queria ir assim para um lugar bem longe,bem frio,bem calmo e ficar em uma casa que fosse distante de quase tudo também.Acordaria tarde,leria livros,tomaria chocolate quente perto de uma lareira,assistiria filmes e mais filmes,e faria tudo o mais que fosse de agradável.Não mandaria cartões postais,nem telefonaria também,aliás não ia querer falar com ninguém e ficaria lá o tempo que fosse preciso.
Às vezes doi um pouco pensar nessas vontades tão solitárias,mas o que posso fazer se é sozinha que me defino mais?


Bem que podia parar de ser egoísta e pensar um pouco mais em NÓS.Isso mesmo NÓS,com letras maiúsculas ou até mesmo em alto e bom som,pra vê se você entende melhor,se é que está difícil.
E pode parar com esse blá-blá-blá de que me ama e só vive pra mim,porque se estivesse tudo perfeito eu não teria do que reclamar.Ora bolas.
O que eu te dizia? Vivia te dizendo que uma hora acabaria com tudo isso,deixaria de ligar,de me importar,de sofrer. E o que aconteceu? Eu deixei mesmo e veja só,hoje você me liga,eu nem atendo,e quando atendo não passa de um oi-tudo-bem-como-você-está-estou-bem-tchau.Eu sei que isso te surpreende e de alguma forma até te doi.Mas eu cansei de avisar,cansei tanto que não avisei mais,agi.Demorou pra acontecer,mas digamos que hoje você já acredita nas minhas palavras.
Que sirva de exemplo aos próximos.













"É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar.Mas amor, você sabe, amor não se pede."

(Tati Bernardi)
"Incisiva. Eu não sei qual é o meu problema. Na verdade nem sei se é mesmo um problema e se realmente é meu. Acho que gosto mesmo é de me arriscar, me envolver com o que parece impossível.Mas é enorme o medo que sinto da queda. Então porque salto tão alto se tenho medo de cair? Incrível como o medo de não te ter fala mais alto nessas horas. Pensando bem, acho que o problema está em você que vê todo o meu sacrifício pra estar contigo e mesmo assim vive fugindo de mim."

(Tati Bernardi)



E naquela noite olhando para o céu,nem tão estrelado,ela foi percebendo que teria que acabar com todas aquelas neuroses.Não sabia quando,nem como,mas de alguma forma ela tinha que dar um basta.Já estavam fazendo muito mal.
Cria juízo menina,cria juízo.Põe nessa tua cabecinha que o amor vai por vezes usar tua emoção e enlouquecida ficarás.Mas para que voltes ao estado de lucidez,vai precisar da razão,ah e como vai precisar.

07 julho, 2011

"E quem diria. Quem diria. Ontem mesmo, conversando com vários amigos, eles me disseram que eu não mais parecia comigo. Eu pareço eu sim, mas vou ganhando o mundo quando abro algumas brechas da minha prisão. E de brecha, vou me ganhando também. E quase vira o estômago mas sou tomada por uma fome boa que eu nem sei o nome. Talvez acreditar assim, sem medo, em algo descontrolado e de alguma forma justo, seja acreditar em Deus. Durmo em paz. Tudo na hora certa. As coisas são como são."

(Tati Bernardi)

06 julho, 2011












Aos poucos quando você vai dando lugar para a razão,vai percebendo que toda aquela cena mesclada de ciúmes,não passava de desespero.Então logo começa a fazer outras coisas,pensar em outras,e amar tudo o que realmente for agradável,quando se dá conta sua atenção desviou-se daquele amor doentio e agora você só se apega ao que te faz bem.

05 julho, 2011

Vem cá,tu achas mesmo que eu queria estar com essa pose toda,com a cabeça quente e o coração na mão? Não,não querido,eu queria mais era estar por aí aproveitando todos os desfrutes que a liberdade oferece.Já deu vontade,muita vontade de interromper todo esse processo com o qual nos acostumamos - isso mesmo,já virou costume - mesmo sabendo que ia doer,porque sempre doi,já doeu mesmo uma vez... Mas eu,tu,nós sabemos que não é tão fácil assim e eu prefiro que ao invés de me criticar,você criasse o hábito de entender os meus sentimentos,nada mais justo já que você mesmo faz parte deles.
Eu não queria ter essa disposição pra te ligar,te investigar,te questionar,tentar te possuir,mas você sabe que esse é o meu jeito,e que por isso mesmo não dá pra modificar.Eu queria que de alguma forma nós entrássemos no mesmo ritmo e curtisse a mesma melodia,não é tão difícil se você tentar,se você ao menos quiser tentar.Então de vez em quando eu vou mentalizar que um dia você irá me compreender melhor.

03 julho, 2011







"Para meus amigos que têm um... CORAÇÃO PARTIDO: 
Um coração assim dura o tempo que você deseje que ele dure, e ele lastimará o tempo que você permitir. Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom, mas não permita que ele chore para sempre. Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer coisas boas, aprenda a ajudar a própria vida. A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional. E lembre-se: É melhor ver alguém que você ama feliz com outra pessoa, do que vê-la infeliz ao seu lado."


(Martha Medeiros)