18 janeiro, 2013

Sentimento sem nome


Queria ter o poder de pegar todas as lembranças que ainda me restam de você, colocar em uma gaveta e passar o cadeado. Não jogaria a chave fora mas guardaria em algum lugar não muito comum, de forma que eu nem lembrasse que ela existe. Os sentimentos seriam bem mais fáceis de lidar se tivéssemos o domínio sobre eles. Estou tão cansada dessa rotina de ilusão, em que se acredita em amores verdadeiros que não passam de paixõezinhas de esquina. Fico pensando se o problema está em mim que sempre acabo me entregando demais, me dando de bandeja toda vez que você cansa dos ares do mundo e volta para os meus abraços como se nada estivesse acontecido. E nada mesmo acontece, eu estou sempre aqui, não a te esperar, mas a te receber com sorrisos, e batom, e perfumes, e carismas, e beijos, e esperanças, e. 
Mas aí sempre chega o momento em que você, mesmo sem intenção, parte os últimos cacos que ainda restam do meu coração e desmorona todas as minhas possibilidades de ser feliz outra vez, então te mando embora pois reconheço que, como na metafísica, nós possuímos o princípio da impenetrabilidade em que eu não posso ocupar o seu espaço ao mesmo tempo que você ocupa o meu. E isso dura até que o ciclo volte novamente à tona e tudo recomece outra vez. Até hoje não sei se é amor, ou paixão, ou desejo, ou apego, ou loucura, ou algum tipo de consideração que temos um pelo outro porque sempre resta alguma coisa inacabada, sempre falta um pedaço do quebra-cabeça em que não conseguimos encaixar, sempre falta a nota da música que não entra em sincronia, sempre falta algo que conspire a nosso favor. A verdade é que não sei dar nome a esse sentimento que nos envolve e nos tormenta, nos aproxima e nos afasta. Mas a maior verdade é que preciso ser mais forte que eu, mais forte que a dor-saudade-carência pra poder dar o ponto final de um parágrafo que há tempos perdeu-se em uma página qualquer. Só assim me convenço que nossa história não passou de um conto de fadas com a ausência de um final feliz.


14 comentários:

  1. Seus textos sempre lindos, esse é um pouco triste,mas não perdeu o encanto
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oie querida!
    Vai ser um prazer compartilhar um texto seu no meu blog.
    Deus abençoe
    asoonhadora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. .



    Eu não tenho saudades
    dos meus amigos, mas sede
    de vê-los eu tenho muita,
    portanto, venha molhar os
    meus olhos com a sua pre-
    sença.

    Beijos do amigo.

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  4. Amei o texto porque eu me sinto exatamente assim! PERFEITO!

    Capisci ?! - Blog!

    ResponderExcluir
  5. Oi Manu que lindo, adorei o novo visual do seu blog!! Que lindo!!
    Tenha um ótimo final de semana, beijos.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo como você escreve. Podemos sentir cada palavra sua aqui.

    ResponderExcluir
  7. o inutil exercicio do desapego....
    o segredo é que não há segredos, contra a própria vontade a dor passa
    digo contra a vontade porque tem gente que se vicia em tristeza

    ResponderExcluir
  8. Passando para te deixar um abraço,tenha um ótimo começo de semana bjssss

    ResponderExcluir
  9. Que belo texto .
    Quando se perde o controle sobre algum sentimento , é a hora de fazer escolhas .

    Um Beijo !

    ResponderExcluir
  10. Oi Manu, muito bom o post, adorei!!!
    Tenha uma linda semana e bom feriado, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Lindo! Acredito que possa ser essa mistura que te faz sempre voltar no mesmo ponto.

    ResponderExcluir
  12. estou de volta....
    muitas vezes queremos apagar algumas lembranças, pessoas, sentimentos, mas é tao complicado... melhor tentar nao pensar tanto.
    beijoos

    ResponderExcluir
  13. Manu, as paixonites são assim mesmo. Mas realmente é complicado quando o outro fica em cima de muro. Beijos de luz!

    ResponderExcluir
  14. Oi amiga, vim lhe desejar uma linda semana, beijos!

    ResponderExcluir

"Venha quando quiser, ligue, chame, escreva - tem espaço na casa e no coração, só não se perca de mim". CFA