20 maio, 2012

O óculos

Bati em sua porta. Coração acelerado, mãos frias, goma de mascar na boca para disfarçar o nervosismo. Horas atrás estive aqui, lágrimas nos olhos, pés se arrastando até a porta, esta mesma que está aqui em minha frente agora.
Você abriu e me adiantei em pedir um copo d'água para que não tivéssemos assunto inicial. Foi inevitável.
- Olha - ele disse - eu sei o quanto está sendo difícil pra nós dois, mas...
Eu o interrompi, não queria ouvir aquelas palavras novamente. Você sabe, nossa longa história haveria de deixar marcas profundas e seria dispensável tocá-las para experimentar a dor. Ela já estava ali, fincada, cravada no peito.
- Esqueci meu óculos. - Disse fria e seca de forma que ele me olhou assustado. Pensou mesmo que eu estaria ali por um outro motivo. Ou pensou que talvez eu implorasse por mais uma chance. Mas não, eu não chegaria aquele ponto.
Varri os olhos pela sala e vi ele lá, o óculos, intacto, sobre a estante de madeira fina. É, eu o havia deixado mesmo ali, no momento que não queria que as lágrimas embaçassem suas preciosas lentes.
O peguei e saí. Sem me despedir, sem olhar pra trás. Sem dizer que, na verdade, era meu coração que eu esquecera ali, em sua casa, em sua sala, em suas mãos. Um dia quem sabe eu voltarei para buscá-lo também.


12 comentários:

  1. Lindo! Adorei seu blog.
    Vamos ser seguidoras?
    Beijo
    Nina

    ResponderExcluir
  2. Nossa flor me apaixonei e senti a dor da despedida em cada palavras.
    Sou dessas que quando tem de dizer adeus e sente a dor já cravar no peito deixando marcar e feridas enormes.

    Lindo texto!
    BEIJOS
    srt-jully.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa Manu, todos nós temos aquele amor "impossível",né? =/
    Beeeijo, minha linda ;*

    ResponderExcluir
  4. Passando pra lhe desejar uma boa semana!
    Obrigada pelo carinho no blog.

    http://o-que-ninguem-ve.blogspot.com.br/
    Beeeeeeijosmil Manu! ;*

    ResponderExcluir
  5. Que historia triste Manu,mas infelizmente acontece! E me fez lembrar bastante o fim do meu namoro... ;/ o que temos que fazer é seguir em frente num é? beijosss

    ResponderExcluir
  6. Que lindo texto, quanta emoção e amor escondido em cada palavra ...

    beijinhos linda, uma ótima semana pra você,
    cheiinha de luz e repleta de amor!!

    ResponderExcluir
  7. "era meu coração que eu esquecera ali, em sua casa, em sua sala, em suas mãos. Um dia quem sabe eu voltarei para buscá-lo também."

    Ta falando de mim é? Poxa, comigo foi bem assim, eu parti mas meu coração ficou. To tentando resgatar ele novamente, e acho que to conseguindo, dos males o menor.
    Azar é de quem não sabe dar valor, não soube fazer moradia em nosso coração né? Quem perde é eles.

    Adorei Manu. bjs;*

    ResponderExcluir
  8. Complicado, mas quer saber? Acho que chega uma hora que nós devemos resguardar o nosso orgulho e nos valorizar, como mostrou esse seu texto. ^^

    Beijos querida

    ResponderExcluir
  9. Dói tanto ter que esquecer, quando se quer mesmo é lembrar e estar junto.
    Ótima semana, Manu!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. seu blog é muito lindo menina
    estou de volta....com dois blogs
    vi e gostei por isso deixo o meu comentário


    http://socialle.blogspot.com.br/ (blog social)

    http://portodegalinhas.viajeblog.com.br/ ( blog de poemas)

    ResponderExcluir
  11. Acho que pelo texto que tu leu no meu blog tu sabe que to passando por esse mesmo momento.
    Não voltarei pra pedir mais uma chance. Talvez eu também volte e pegue apenas meu coração.
    Beijo enorme!
    Ps: que saudade daqui também!

    ResponderExcluir
  12. Que tocante! Lindo!

    Beijos doces e, obrigada pela visita, volta sempre!

    ResponderExcluir

"Venha quando quiser, ligue, chame, escreva - tem espaço na casa e no coração, só não se perca de mim". CFA